O prefeito Odelmo Leão recebeu, na manhã desta sexta-feira (30), o ministro da Saúde, Ricardo Barros. Em visita a Uberlândia, o representante do governo federal conheceu o Hospital e Maternidade Municipal e participou de reunião com gestores das microrregiões do Vale do Paranaíba e da região do Vale do Rio Grande. Na ocasião, também anunciou investimentos para a região. Todas as cidades integrantes da Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Paranaíba (Amvap) foram contemplados com recursos que totalizam R$ 19,4 milhões anuais permanentes. Só para Uberlândia, segunda maior cidade do estado, foram destinados R$ 14 milhões.

A verba oriunda do Governo Federal é para ser aplicada no custeio da atenção básica, abrangendo os agentes comunitários, equipes de saúde da família, de saúde bucal e núcleos de apoio à saúde da família. “Os recursos de média e alta complexidade foram liberados em dezembro. Nesta etapa estamos aportando milhões em custeio anual para todos os serviços de atenção básica prestados pelas prefeituras”, explicou o ministro.

Durante a visita, o prefeito Odelmo Leão solicitou apoio e atenção especial em áreas consideradas importantes para a saúde de Uberlândia, inclusive para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), maior hospital regional do Triângulo Mineiro. “O poder público precisa de gestão e é o que o ministro tem feito em âmbito federal. Precisamos que essa atenção continue para que possamos corrigir problemas que já se acumulam há 20 anos. Nossa região é carente de leitos. Então, é preciso concluir aqueles 250 leitos do HC e aprimorar o trabalho que é feito nele, pois é fundamental para toda a região”, disse Odelmo Leão.

Visita ao Hospital e Maternidade Municipal

Ainda durante a visita em Uberlândia, o ministro conheceu a estrutura do Hospital e Maternidade Municipal Dr. Odelmo Leão Carneiro. A unidade conta com 236 leitos, divididos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), maternidade, UTI neonatal e internação clínica e cirúrgica. O projeto possibilita, ainda, a expansão da construção, podendo comportar até 500 leitos em uma segunda etapa.

Em janeiro de 2017, quando o prefeito Odelmo Leão assumiu a Prefeitura de Uberlândia, o hospital estava com 45 leitos fechados (sendo 10 de UTI e 35 de internação) por falta de infraestrutura e manutenção de equipamentos essenciais. Outros 70 estavam sem receber pacientes devido à ausência de materiais e medicamentos básicos.

Aos poucos, Odelmo Leão conseguiu adequar os estoques de insumos - por meio de compras emergenciais - e reestabeleceu o funcionamento dos leitos para atender os pacientes, além de fazer com que equipamentos fundamentais como os da Central de Esterilização, monitores, aparelhos médico-hospitalares e o tomógrafo (que estava parado há quase um ano) voltassem a funcionar.

Cirurgias oncológicas e Upas

Na visita da comitiva ao hospital, o prefeito Odelmo Leão entregou um ofício ao ministro solicitando a liberação do Hospital e Maternidade Municipal para a realização de cirurgias oncológicas. O pedido possibilitará que mais uma unidade de referência da cidade possa oferecer serviços na área, aumentando o atendimento a população uberlandense. “O ministro demonstrou boa vontade e vai verificar se é possível liberar dentro do cronograma financeiro do Ministério da Saúde”, disse o secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues. Segundo o ministro, a liberação sairá assim que possível. “Recebi o ofício pedindo o credenciamento, que eu liberarei assim que a tramitação burocrática estiver concluída”, disse Ricardo Barros.

O prefeito também solicitou apoio na busca de soluções em relação às Unidades de Pronto Atendimento (UPA) Norte (Pacaembu), Novo Mundo e Cidade Verde. Foi entregue ao ministro um relatório com a situação de cada unidade, incluindo inconformidades da UPA Norte e a necessidade de um investimento de cerca de R$ 3 milhões para colocar a unidade em funcionamento.

SECOM PMU