Uma Reunião Solene no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) deu início, na manhã desta quinta-feira (1º/2/18), aos trabalhos parlamentares em 2018. Na solenidade, comandada pelo presidente da ALMG, deputado Adalclever Lopes (PMDB), foi instalada da 4ª Sessão Legislativa da 18ª Legislatura.

Cada sessão legislativa corresponde a um ano e a legislatura é o período de quatro anos para o qual os deputados são eleitos. A 4ª Sessão Legislativa é a última da 18ª Legislatura, que se encerra no dia 31/1/19. Em 1° de fevereiro de 2019, acontece a posse dos novos parlamentares que serão eleitos ainda em 2018.

Em seu pronunciamento, Adalclever Lopes destacou que a abertura da sessão legislativa inaugura um importante capítulo na história do Parlamento mineiro, marcado, de acordo com ele, pelo compromisso com o amadurecimento da democracia brasileira.

O presidente da ALMG também fez um agradecimento aos colegas deputados. “Eles já demonstraram, em inúmeras vezes, respeito aos princípios do diálogo, do entendimento e do voto. Eles também demonstraram compreensão com o momento crítico pelo qual passa o Estado e apresentaram propostas que nos deram tranquilidade”, afirmou. “E, em 2018, continuaremos com nossa abertura à participação popular, encaminhando soluções democráticas para os conflitos sociais”, completou.

 Adalclever Lopes disse que o momento marca compromisso com o amadurecimento da democracia Adalclever Lopes disse que o momento marca compromisso com o amadurecimento da democracia - Foto: Guilherme Bergamini
Ano eleitoral - Em entrevista coletiva à imprensa, antes do início da solenidade, Adalclever Lopes ressaltou ainda que o ano eleitoral não vai prejudicar o andamento dos trabalhos legislativos e que a Assembleia terá como prioridade a fiscalização dos outros Poderes e a redução dos gastos.

Questionado sobre a parceria com o Executivo para aprovação de matérias que possam ajudar na recuperação financeira de Minas Gerais, ele disse que o Legislativo tem a obrigação de atuar da melhor maneira possível para ajudar o governo estadual, independentemente da questão partidária, mas sempre com independência, analisando os projetos do governo como todos os outros.

“O resultado não é aquilo que o governo ou a oposição quer; sempre sai diferente, porque tem que ser um entendimento coletivo da Assembleia, como sempre fazemos”, destacou Adalclever Lopes.

Convidados - Também participaram da solenidade outros deputados estaduais, o deputado federal Weliton Prado (Pros-MG), que representou o Congresso Nacional, o presidente do Tribunal de Justiça de Minas (TJMG), desembargador Herbert José Almeida Carneiro, além de secretários de Estado, representantes do Ministério Público e da Defensoria Pública do Estado, entre outras autoridades.

Mensagem do governador diz que o pior já passou

 Secretário de governo classificou Assembleia como espaço para construção de consensos Secretário de governo classificou Assembleia como espaço para construção de consensos - Foto: Guilherme Bergamini
Após a execução do hino nacional e a leitura, pelo presidente da ALMG, da declaração de instalação da 4ª Sessão Legislativa, coube ao secretário de Estado de Governo, Odair Cunha, ler mensagem do governador Fernando Pimentel.

O chefe do Executivo estadual ressaltou os desafios impostos ao planejamento diante do legado das administrações anteriores, em um cenário de crise econômica sem precedentes. “Se alguém ainda não foi afetado diretamente, ao menos conhece uma pessoa que sentiu na pele as consequências deste terrível momento. Por isso, não preciso listar estatísticas. Todos têm vivido essa angústia diariamente”, afirmou o governador.

Pimentel ainda classificou como “herança maldita” a situação das contas, ao assumir o governo. Mas, apesar dos problemas, assegurou que o momento atual neste início de ano é de esperança. “Estamos reconstruindo o Estado com diálogo, equilíbrio e muito trabalho. O peso desta herança não vai determinar o destino de Minas”, apontou.

Perspectivas - O governador lembrou que, a partir de 2015, novas empresas e investimentos foram atraídos para Minas Gerais, que fechou 2017 como o segundo estado que mais gerou empregos no País.

Segundo ele, também foram obtidos avanços em outras áreas, como na educação e na segurança pública. “A sensação é de que o pior já passou e o melhor está por vir, pois Minas Gerais está mais preparada para enfrentar o que vier. 2018 será o ano dos mineiros”, afirmou.

Por fim, reforçou a importância da ALMG na discussão de ações que vão retomar a força da economia mineira. “Precisamos unir todos os que amam esse Estado. Esse deve ser o ponto de partida para o debate e a Assembleia é um espaço privilegiado para construção de consensos para uma Minas Gerais cada vez melhor”, finalizou.

Fonte: ALMG