O Dia Mundial dos Pobres foi um dos assuntos tratados pelo diretor-executivo da Cáritas Brasileira, Luiz Claudio Mandela no segundo dia da 5ª reunião do ano do Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que apresentou as propostas a serem trabalhadas durante a Jornada Mundial dos Pobres.

A data foi instituída pelo Papa Francisco na carta apostólica ‘Misericórdia e mísera’, publicada no encerramento do Jubileu da Misericórdia. O documente pede que o dia seja “um sinal concreto” do Ano Santo extraordinário. Diante dessa realidade, a CNBB e a Cáritas Brasileira preparam a primeira Jornada Mundial dos Pobres que será realizada de 12 a 19 de novembro e terá como tema apresentado pelo papa “Não amemos com palavras, mas com obras”.

O “Dia Mundial dos Pobres”, a ser celebrado dia 19 de novembro, quer ajudar as comunidades e cada batizado a “refletir como a pobreza está no âmago do Evangelho”, referiu o Papa na mensagem. A Cáritas Brasileira, juntamente com a Comissão Episcopal Pastoral para Ação Transformadora da CNBB, pretendem mobilizar a Igreja no Brasil e a sociedade em geral para a Jornada Mundial dos Pobres através da Semana da Solidariedade.

A posposta é realizar atividades concretas que sensibilizem as pessoas para que tenham atenção e cuidado com os pobres. Entre as iniciativas, está o projeto Ruas Solidárias que propõe que as pastorais e movimentos realizem atividades em sua localidade, utilizando a hastag #cuidardaruasuperarapobreza.

A ideia é utilizar um espaço que pode ser uma casa, praça ou até mesmo em uma paróquia como ponto de apoio para momentos de celebração, arrecadação de roupas, atividades sociais e rodas de conversas. A campanha sugere também que no dia 19/11, as celebrações sejam com as pessoas que participaram das atividades durante a semana.

CNBB