O Espírito Santo é o artífice do batismo de Jesus e também do nosso batismo. Ele nos abre os olhos do coração para a verdade, toda a verdade. Impele a nossa vida no caminho da caridade. Ele é o dom que o Pai fez a cada um de nós no dia do nosso batismo.

Foi o que ressaltou o Papa, ao meio-dia (07/01), no primeiro Angelus dominical deste ano, ocasião em que a Igreja celebra a festa do Batismo do Senhor. Recordando que esta celebração conclui o tempo do Natal, destacou que a mesma nos convida a pensar no nosso batismo.

Lembrando que o batismo feito por João Batista era um batismo de penitência – que expressava o desejo de purificação dos pecados –, ressaltou a grande humildade de Jesus que, não tendo pecado, faz-se batizar.

“Assim fazendo, Ele manifestou aquilo que celebramos no Natal: a disponibilidade de Jesus de imergir-se no rio da humanidade, a tomar sobre si as faltas e as fraquezas dos homens, a partilhar seu desejo de libertação e de superação de tudo aquilo que distancia de Deus e torna os irmãos estranhos.”

“Como em Belém, também às margens do Jordão Deus mantém a promessa de assumir a sorte do ser humano, e Jesus é o Sinal tangível e definitivo disso. Ele assumiu todos nós, assume todos nós, na vida, a cada dia”, acrescentou Francisco.

Dito isso, o Pontífice ressaltou a descida do Espírito Santo sobre Jesus no seu batismo para dar-lhe a força para a sua missão no mundo. “Ele, o Espírito, nos transmite a ternura do perdão divino”, frisou.

O Papa lembrou também que o Batismo de Jesus nos convida a recordar o nosso batismo. A este ponto, Francisco perguntou aos presentes reunidos na Praça São Pedro se sabiam a data do próprio batismo, convidando-os a tê-la na memória porque é uma data de festa, “é a data na qual o Pai nos deu o Espírito Santo que nos impele a caminhar, é a data do grande perdão”. E exortou cada um a não se esquecer, perguntando a si próprio: “qual a data do meu batismo?”

“Invoquemos a proteção materna de Maria Santíssima, a fim de que todos os cristãos possam compreender sempre mais o dom do Batismo e se comprometam a vivê-lo com coerência, testemunhando o amor do Pai e do Filho e do Espírito Santo.”

Francisco concluiu ressaltando ter tido pouco antes, na festa do Batismo do Senhor, a alegria de batizar algumas crianças, 34 ao todo, invocando para elas e para todas as demais recentemente batizadas a proteção materna da Mãe de Deus, “a fim de que, ajudadas pelo exemplo de seus pais, padrinhos e madrinhas, cresçam como discípulos do Senhor.”

Fonte: Vatican News